quinta-feira, 31 de março de 2011

Trilhos de Almourol

Tenho um dorsal com almoço para a Prova dos Mini Trilhos. Quem quiser aproveitar diga-me para eu enviar email com a inscrição e comprovativo de inscrição. Tal como o Joaquim encontro-me lesionado e por este motivo não poderei participar. Desejo a todos uma óptima prova e divirtam-se como é nosso lema. Run4Fun

quarta-feira, 30 de março de 2011

Trilhos de Almourol


Mais de 20 participantes "Run 4 Fun", no conjunto das três provas, Trilhos, Mini-Trilhos e Caminhada. Um máximo, até agora, neste tipo de prova.

Secretariado
: Pavilhão Municipal do Entroncamento - latitude: 39°28’13.32″N ; longitude: 8°28’5.45″W

2 de Abril , Sábado - 18 h às 21 h.

3 de Abril , Domingo- 07.00h às 17.00h


Trilhos (39 km) - saída às 8:45 de autocarro, para Aldeia do Mato; Início da prova às 10:00

Mini-Trilhos (21 km) - saída às 9:00 de autocarro, para Constância; Início da prova às 10:00

Caminhada (14 km) - 8.00/8.30 Entrega de peitorais; 8h30 Percurso Pedestre entre Pavilhão e a Estação CP; 9h05 - Partida para o apeadeiro do Almourol; 9h30 - Partida do percurso de Caminheiros em Almourol.

Contamos estar no Pavilhão Municipal do Entroncamento, cerca das 8:15. Se alguém for no dia anterior, poderá levantar os dorsais.

Cumprimento para os casais Isabel e Rui Oliveira e Amélia e Carlos Gonçalves, Joaquim Lopes (que espero esteja bem de saúde) e Zé Magalhães que, julgo, farão as suas estreias em "Trilhos". Quando se experimenta, fica um "bichinho".

Para o Teodoro Trindade, um cumprimento especial pela sua participação numa distância tão longa, depois da experiência dos Trilhos de Conímbriga. Uma quase-Maratona, na natureza. É obra!!!

E boas provas para os nossos companheiros que irão à Corrida dos Sinos e aos "Sininhos", no mesmo dia.

Runabraços

Meia-Maratona de Viena, Austria


O Run 4 Fun irá marcar presença na 28ª Maratona da cidade de Viena, Austria.

O evento irá ter lugar na linda cidade de Viena no próximo dia 17 de Abril de 2011, pelas 10h. Esperam-se 30.000 participantes no evento, vindos de +100 países.

Haile Gebreselassie, o actual detentor do recorde mundial da maratona irá participar na meia-maratona com o lema “Catch me if you can”.

Também a campeã portuguesa Dulce Félix estará presente na prova da maratona. É apresentada pela organização como uma das principais participantes que integram a "Best women’s elite for many years" .

A participação no evento desportivo irá permitir usufruir da cultura desta antiga capital do império austro-hungaro, e saborear a famosa Sacher-tart.

De referir que Viena foi classificada em 1º lugar entre 221 cidades de todo o mundo, num estudo realizado em 2010 sobre qualidade de vida.

Correr já é a actividade física mais popular na capital austríaca.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Corrida do Mirante

Trata-se da tradicional “Corrida do Mirante” já na sua 10ª edição, a realizar a 29 de Maio de 2011.

Uma belíssima prova que não quererá perder com caminhada incluída.

Informações:
Telef. 263 749 505 - Junta de Freguesia de Ota
Telem. 962 640 350 - Alexandre Beijinha


Envio de inscrições:
c.s.r.dota@sapo.pt (Centro Social Recreativo e Desportivo de Ota)
jf.ota@sapo.pt (Junta de Freguesia de Ota, Travessa da Praça, 2580-243 Ota)


Modo de pagamento:
Cheque, vale de correio ou transferência bancária, em nome do Centro Social de Ota - NIB: 001000006718450000104

17Km Porto de Mós/Serra D´Aire

É a emblemática corrida “17 kms Porto de Mós / Serra d’Aire” na sua 25ª edição, a realizar a 22 de Maio.

Esta prova com 23 edições, é considerada uma das provas mais emblemáticas da região e com referências nacionais.

O facto de ser a única prova que promove uma viagem ao centro da terra, com passagem integral dentro da gruta de Alvados, torna-a realmente numa prova única no País.

Informações / Inscrições em http://www.municipio-portodemos.pt

Corrida Sempre Mulher

No dia 10 de Abril venha correr ou andar por uma boa causa na Avenida Marginal em Oeiras (percurso de 6 km integralmente fechado ao trânsito).

Não falte e apoie a Luta Contra o Cancro da Mama.

Inscreva-se já em www.corridasempremulher.com

domingo, 27 de março de 2011

8ª Corrida ISCPSI / APAV


Sentido de responsabilidade, compaixão,e solidariedade são também valores com que o Run 4 Fun pauta a sua actuação.

E hoje na 8ª corrida ISCPSI / APAV marcámos presença numa simbólica ajuda para a APAV. Uma pequena ajuda que pode fazer a diferença.

E que enorme festa se tornou esta prova! Atletas mascarados, grupos de amigos, cachorros, famílias inteiras com carrinhos de bébé a participaram pelo intuito de ajudarem uma causa e em simultâneo praticar desporto, conviver e ainda conquistar saúde.

Numa boa organização do ISCPSI, que contou à partida com 2.000 atletas, mas onde o procedimento da largada necessita de ser melhorado. Havia boas (e muitas) indicações, com hipótese dos atletas se cruzarem em 2 pontos do percurso entre o Calvário, e Belém. Uma chegada sem problemas nem esperas, e com a supresa da fruta à chegada.

Num dia com bom tempo para a prática do atletismo, destacaram-se:
  • Carla Cardoso que uma semana depois da sua primeira Meia-Maratona consegue o seu PBT aos 10 KMs abaixo dos 50 minutos: 49:12! Muitos parabéns;
  • Paulo Curto de Sousa e José Magalhães que apesar de lesionados não quiseram deixar de participar na prova, e assim prestar uma singela ajuda à APAV;
  • Nuno Marques pelo tempo "canhão" de 43:31! Uma série em cada Km.
Já se encontram disponíveis as classificações.

E os "croissants do Careca"? Hmmm, só mesmo indo lá provar!!!


Um agradecimento especial à presença do nosso fotógrafo oficial Joaquim Cardoso. Mais fotografias em photo4ever.net.

XI 12 km de Salvaterra de Magos

O Run 4 Fun marcou presença no XI "12 km de Salvaterra de Magos". Jorge Esteves, Teodoro Trindade e "moi" fomos até ali a Salvaterra de Magos para mais uma prova.
Prova de estrada com 12 km, efectuada em boas condições atmosféricas, práticamente plana na lezíria ribatejana, percorreu o interior da localidade de Salvaterra e depois percorreu a estrada que liga à localidade ribeinha de Escaroupim, e retornou antes dessa localidade.

Realçe para os PBTs nos 12 km de Teodoro Trindade e de Jorge Esteves.


Após o fim da corrida e de assistirmos ao sorteio de 2 relógios, fizemos o mesmo caminho (agora de carro) até à localidade de Escaroupim, mesmo à beira do rio, para um repasto com uma bela vista para a "ilha" (o mouchão) e os canais, num almoço de reposição de energia.

Na época da "raínha" da região, provámos as enguias como aperitivo para o prato principal. O melhor ficou para o fim. Um buffet de sobremesas de saborear e chorar por mais.

Não podia terminar de melhor forma este retorno à lezíria ribatejana, agora em Salvaterra de Magos, terra dos "barretes".


Na foto em cima o "podium" da equipa R4F.

Mais Fotos no Álbum: Aqui.

RunAbraços.

Trilhos do Pastor

Uma corrida diferente. Para perceber melhor o interesse destas corridas na natureza, é bom participar numa porque as descrições, tal como as imagens, são sempre aproximações muito pobres da realidade.

Começamos em S. Mamede, uma freguesia a cerca de 4 km de Fátima, numa manhã algo fria e com perspetivas de chuva. Pouco depois, passámos por dentro das Grutas da Moeda, é verdade, "corremos" (melhor dito, andámos) numa verdadeira gruta com formações rochosas de grande beleza, realçadas pela iluminação artificial e com muita água, em pequenos lagos. Parecia que estavamos num banho turco com níveis de temperatura e de humidade muito agradáveis.

O pior foi depois da saída, com o contraste da temperatura exterior. Parecia que tinhamos saído do banho quente, para o "frigorífico".

Um percurso muito agradável, com cheiro a floresta, locais muito bem tratados como as "Pias de Urso", paisagens muito bonitas, sem dificuldades de maior , até aos 20 km. Aí começaram as verdadeiras dificuldades, Só para terem uma ideia, eu o o Marco (fizemos a corrida sempre juntos) demorámos mais de 56 minutos a fazer os 5 km entre o km 20 e o km 25.

Nessa altura passámos pela parte mais difícil do percurso. Primeiro uma povoação chamada Reguengo do Fetal, muito bonita e bem arranjada, que deve valer uma visita com tempo, com um bom abastecimento de água, bananas, laranjas e marmelada. Seguidamente, uma subida na PR2 (Pequena Rota 2, para quem sabe de caminhadas) , feita sempre a andar, muito difícil, que dava para ficarmos em "alta rotação" cardíaca. Com a vantagem de, no alto, termos vistas magníficas. Depois, a passagem perto do "Buraco Roto" com subidas e descidas radicais com a ajuda de um corrimão de corda e uma paisagem fora do vulgar. Não aconselhável a quem tenha vertigens.

A seguir, nas calmas até ao final, onde tínhamos novamente água, laranjas e bananas, duche num colégio com excelente aspeto que até tinha uma cavalariça e local para volteio. A chamada "Província".

Finalmente um almoço com uma excelente sopa, tipo "Sopa da Pedra", uma bifana no pão, bebidas e fruta. Uma manhã bem agradável.

Destaques:

- A participação do Aníbal Lopes e do Gustavo Santos, dois excelentes atletas (nível semelhante ao do Luís Matos Ferreira) e pessoas simpáticas, pela 1ª vez com a camisola Run 4 Fun. Aqui estão eles.
- A 1ª corrida em Trilhos do Marco Gouveia;
- As excelentes provas do Aníbal Lopes, 4º no escalão, da Luísa, 5ª no escalão, do Luís Matos Ferreira, 6º no escalão, do Hilário em 10º no escalão e do Gustavo, com excelentes 2:38.;
- O Manuel Romano, apesar da ciática que o atacou a terminar com grande brilhantismo e em bom tempo. O Manuel fez uma filmagem com uma câmara portátil fixa ao boné. Cá esperamos o filme, Manel.
- O Paulo Jorge, também apareceu e fez uma boa corrida, com muita roupa, na minha opinião. O que vale é que choveu uns bocados, por isso o impermeável teve utilidade (!!.....:).........).
- Realce também para a participação das atléticas famílias Romano e Matos Ferreira na caminhada. Parabéns por mais uma participação.

Finalmente os meus agradecimentos ao Marco pela companhia durante a prova. Os 28,5 km passam muito mais depressa quando vamos na conversa e apreciando, em conjunto, as belezas e as dificuldades do percurso.

Mais fotos aqui.

Runabraços

quinta-feira, 24 de março de 2011

Trilhos do Pastor


Manel, esqueceste-te desta !!!????.

Vejam o anúncio do Regulamento:

A prova terá início às 09h00 do dia 27 de Março de 2011, partida e chegada frente ao edifício da Junta de Freguesia de S. Mamede, com um percurso de 29 km, percorrendo grutas, serras e vales no parque natural de Serra d' Aire e Candeeiros.

Deve ser uma prova fantástica, onde vão estar, nos 29 km:

Aníbal Lopes - grande atleta, uma boa companhia para o Luís Matos Ferreira
Hilário Torres - na sua 2ª prova de Trilhos, boa companhia para o Luís e Aníbal
João Ralha - aqui o "escriba"
Luís Matos Ferreira - o nosso campeão dos PBT´s em provas longas e....... curtas
Luísa Ralha - uma experiente "Trailiana"
Manuel Romano - um muito experiente "Trailiano"
Marco Gouveia - o nosso "papa-maratonas de fim-de-semana", em preparação para os 101 km de Ronda

Na caminhada dos 7 km, as famílias mais assíduas do Run 4 Fun:

Fátima Gamas e Raquel Duque
Helena Bárrios, Rui e Rita Ferreira

Depois das provas, o almoço que deve ser, como de costume neste tipo de provas, muito agradável.

Desde já desculpas antecipadas se há mais algum companheiro inscrito que não tenha mencionado. E boa prova para os nossos companheiros que vão aos 10 km da APAV.

Runabraços

PS

Temos 3 atletas no nosso carro, podemos levar mais 2. Há que poupar.........mais agora, que estamos "desgovernados".........

quarta-feira, 23 de março de 2011

Trilhos de Almourol 2011

É já no próximo dia 3 de Abril que se realiza a 2ª Edição dos Trilhos de Almourol este ano com uma grande participação Run 4 Fun.
Na prova principal de 39 Km teremos José Carlos Melo, Miguel San Payo, Luisa Ralha e João Ralha.
Nos Mini Trilhos, que apesar do nome sempre serão 21 Km os nossos representantes são o Joaquim Carvalho Lopes, Manuel Romano, Miguel Correia, Rui Ralha, José Magalhães, Filipe Leitão, Jorge Esteves, Rui Oliveira, Carlos Gonçalves, Isabel Oliveira e Amélia Oliveira.
Na Caminhada de 14 Km, Fátima Gamas, Maria Antunes, Raquel Duque, Eduarda Moreira e Ana Paula Antunes.
Um excelente pelotão!








Angola, Angola....Run 4 Fun em força!


O Ricardo Machado andava um tanto sozinho a treinar para as meias maratonas sul africanas....até que o Jorge Estevão e o Vasco Rebelo vão trabalhar para Luanda.

E depois é fácil...O Vasco já tinha treinado na Vela Latina connosco...O Jorge levou camisolas....e o Diniz Melo foi recrutado localmente!

Com humidade e temperaturas pouco habituais para os padrões europeus, assim se fez o treino de estreia do núcleo alargado dos nossos runners por terras de Luanda, em volta do Estádio dos Coqueiros (sim, porque a Marginal, quiçá a mais bonita do mundo, está em obras).

Da esquerda para a direita: Vasco Rebelo, Ricardo Machado, Jorge Estevão e Diniz Melo.

E agora que o núcleo cresça, cresça....!

terça-feira, 22 de março de 2011

Atleta procura-se



Há 4 meses atrás formou-se uma equipa de 5 elementos para fazer a magnifica prova de Ronda. Segundo os regulamentos todos os elementos têm de permanecer juntos durante todo o percurso e só se qualificam se todos eles chegarem ao fim (este ano já não existe a possibilidade de os restantes membros se classificarem como individual caso algum desista).

Infelizmente, um dos elementos da equipa não poderá participar, e visto que as inscrições como individual estão esgotadas, a unica possíbilidade de participarmos (ou pelo menos nos classificarmos) será encontrarmos um substituto.

Deixo por isso aqui um apelo a quem quiser participar ou conhecer alguém que queira enfrentar este desafio que deixe aqui a sua mensagem. Apesar de ser uma prova longa (101Km) o objectivo da equipa é apenas chegar ao fim, não fosse termos 2 estreantes nestas andanças (eu e o Luis Boleto nunca fomos além da Maratona, pelo menos em provas oficiais) por isso mesmo que não tenham grande experiência, desde que estejam em forma não se deixem intimidar (o limite para a conclusão são 24 horas). A prova terá lugar no dia 7 de Maio.

Para quem gosta deste tipo de provas, pode ser também uma ultima oportunidade de participar no evento deste ano visto que apesar do elevado numero de vagas (2.500 individuais e 800 por equipas) as inscrições esgotaram logo na primeira semana.

6ª Corrida do SLB


Caros Amigos,
Sem qualquer tipo de "clubite aguda", deixo esta sugestão.

É um evento muito engraçado, têm a "fun race" para toda a família e em ambas as provas existe a obrigatória passagem dentro do estádio.

Tenho participado nas edições anteriores (sempre na "fun race") com toda a familia e tem sido super divertido.

Este ano vou "atacar" os 10Km com o intuito de baixar os 43Min.

Runbraços e até domingo "nos croissants do careca" :-)

segunda-feira, 21 de março de 2011

Corrida a favor da APAV

Vezes há em que podemos pôr a nossa alegria de correr a favor de uma causa meritória.

Ajudar uma organização sem fins lucrativos e que através de voluntariado presta serviços gratuitos de forma confidencial, deverá constituir também um dever cívico do nosso grupo.

Poucos passos nossos serão de enorme importância a quem, de forma individualizada, qualificada e humanizada apoia e acompanha diariamente pessoas vítimas de crimes e de violência.

Associar com a nossa singela participação a tão nobre causa, depende apenas de um pequeno passo da nossa vontade.
APAV

No dia 27 de Março pelas 10:30* irá acontecer a 8a. Corrida de Solidariedade ISCPSI-APAV.
Tem um fácil percurso de 10 Kms, com início em Alcântara, seguindo pela Av. 24 de Julho, retorno pela Av. da Índia e fim em Belém.

Existe também uma caminhada de 3,5 km, por forma a tornar esta prova uma festa de agradável convívio familiar.

Para quem considera 10 Kms pouco, porque não deixar o carro em Belém (junto à meta) e iniciar o percurso inverso até à partida, juntando-se aí à corrida, perfazendo um treino de 20 Kms?

Deixo uma sugestão para depois da prova: os 'croissants do Careca'.

Inscrições aqui.

(*) Atenção: dia 27 de Março de 2011 há a mudança para a hora de Verão.

Treino Lunar (18 Mar '11)


A maior Lua dos ultimos anos mostrou-se-nos numa noite de luar magnífica, que dispensava os frontais dada a total ausência de nuvens, e que, associada a uma temperatura amena, nos proporcionou um treino fantástico. Tudo o que tinha ouvido apenas pecava por defeito: uma experiência fantástica, num ambiente único e soberbo. A repetir, sempre!

Obrigado ao Paulo Pires (mentor/organizador) e a todos os que nos acompanharam.




Meia e Mini Maratonas de Lisboa


Todas as fotos disponíveis... são pouco mais de 2.000 :-) coisa pouca...

www.photo4ever.net

domingo, 20 de março de 2011

Meia Maratona de Lisboa



Grande participação "Run 4 Fun" quer na Meia Maratona, quer na Mini, num dia bonito, mas com calor excessivo para o gosto da maioria dos atletas.

Como é hábito, mais uma série de PBT´s e de corridas interessantes que ficam para a descrição de cada um dos atletas.

Aqui estão algumas fotos (com uma parte dos nossos companheiros participantes..os que foram..em tempo..... até ao ponto de encontro).

Runabraços

sexta-feira, 18 de março de 2011

Meia Maratona de Lisboa


Caros amigos e atletas,

vamos todos participar na mais divertida e participada Meia-Maratona de Lisboa.

Domingo lá estaremos.



Ponto de Encontro: Estação de Roma-Areeiro às 08:40.
Quem vai?

quarta-feira, 16 de março de 2011

Verdadeiro Maratonista


Existe um velho ditado que diz que só se é maratonista depois de completar duas provas.

O Carlos Brazão depois de Madrid em 2010 agora fez Barcelona 2011.

Sobre a maratona de Barcelona palavras para quê? Uma imagem (ao lado) vale por mil palavras.

Já agora, o tempo foi 4H24, o tempo da foto não é o “oficial” que está no site, não desconta os 13 min iniciais para passar a linha de partida e começar.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Treino com a maior lua dos ultimos 20 anos!

Esta semana, no treino ao luar, vamos ter direito à maior lua dos últimos 20 anos!
Com cerca de 30% mais luz que o habitual!


O mundo está prestes a presenciar a aparição da maior lua cheia das duas últimas décadas. Na semana que vem este satélite natural vai chegar ao ponto mais próximo da Terra.

No dia 19 de março, a lua cheia vai aparecer mais exuberante do que o usual na noite celeste quando ela atinge o ponto máximo de um ciclo, conhecido como ‘Perigeu Lunar’.

É esperado um espetáculo visual quando a lua se aproximará da Terra a uma distância de 221,567 milhas da órbita – chegará mais próxima do nosso planeta desde 1992.

A lua cheia poderá aparecer no céu 14% maior e 30% mais luminosa, especialmente quando nascer no horizonte do oriente ao pôr-do-sol ou em condições atmosféricas bem favoráveis.

Este fenómeno é reportado como o mais relevante assunto sobre ‘supermoons’ que está conectado com as extremas manifestações do clima - como os terremotos, vulcões e tsunamis. A última vez que a lua passou tão próxima da Terra foi no dia 10 de janeiro de 2005, nos dias próximos dos terramotos na Indonésia que registou 9.0 na escala Richter.
O furacão Katrina em 2005 também foi associado com a lua cheia incomum.
Previsões de ‘supermoons’ aconteceram em 1955, 1974 e 1992 – cada um destes anos tivemos a experiência de fortes manifestações climáticas.


http://shakyamuni.net.br/2011/03/11/o-mundo-vera-a-maior-lua-cheia-dos-ultimos-20-anos-supermoons/

domingo, 13 de março de 2011

Treino em Monsanto - Domingo, 13 de Março

Eu a falar de "galochas" nas Lezírias, e nós é que as devíamos ter usado em alguns troços (felizmente, poucos) de Monsanto, onde dava para patinar na lama.

O que vale é que não choveu e a temperatura estava agradável. Afinal , o Nuno Marques, estava connosco (ehehehhehehheh.......).

O Marco Gouveia, no seu plano de treinos para os 101 km de Ronda, começou mais cedo. E às 9:00 lá estavam mais sete bravos, prontos para o treino. Tirámos a foto do costume antes do Marco chegar. Ela está "torta" pois o fotógrafo não é grande coisa.... :-), que saudades do Joaquim e do Raúl.......

O Marco chegou e aí fomos nós. Logo no início, juntou-se a nós, por iniciativa própria, o Firmino Loureiro, um atleta de 60 anos, que andava a correr sozinho e que é guarda florestal no parque de Monsanto. Passámos a ter um "guia" que nos levou a vários sítios e nos ia explicando a sua história e respetivas particularidades. Ficámos a saber que, por exemplo, da pedreira perto do bairro da Serafina, foi extraída muita pedra para construção em Lisboa, Serviu também para algumas pessoas viverem nas grutas lá existentes, alguns dos quais evadidos da cadeia de Monsanto.

O Firmino era para correr uma hora mas, com a companhia, acabou por correr duas. O homem já estava esgotado, mas correu, sempre, com grande galhardia.

Nessa altura, a Margarida, o Nuno e o João Fialho também pararam e nós continuamos por mais uns km até concluirmos as 2:35 horas, cerca de uma Meia Maratona.

Pela 1ª vez, esteve num treino"Run 4 Fun", o Luís Correia que se juntou a nós nos 20 km de Cascais, Domingo passado. Vai, a seguir fazer, a Meia da ponte 25 de Abril e quer fazer menos de 1:50. Estou certo que vai conseguir.

E depois de começar a treinar em Sintra, com o João e o Nuno, então vai "cilindrar" todos os PBT´s.


Runabraços

6ª Corrida das Lezírias 2011


Hoje o Run 4 Fun participou entusiasticamente na 6ª Corrida das Lezírias, que como o próprio nome indica, teve lugar nas Lezírias próximas de Vila Franca de Xira.

Com a pretensão de iniciar este relato com uma nota cultural e uma vez que não sou propriamente um erudito, socorri-me da imprescindível Wikipedia e lá encontrei a seguinte explicação:

Uma lezíria (do árabe الجزيرة, al-jazira, «a ilha») designa uma zona agrícola muito fértil, situada na região do Ribatejo, em Portugal. As principais zonas de lezíria situam-se no vale do Tejo, nomeadamente no concelho de Vila Franca de Xira, mas também nos seus afluentes, como o Sorraia.


 















Terminado o parêntesis cultural (com algum indisfarçável alívio meu), devo referir as apreensões manifestadas por vários atletas, incluindo eu próprio, quanto ao estado do tempo que iríamos encontrar, nesta manhã em que o Instituto de Meteorologia anunciava chuva forte para a região.

O Nuno Marques deve ter intercedido por nós lá nas altas esferas, pois o S. Pedro poupou-nos e não tivemos nem chuva nem vento, e ainda beneficiámos de uma temperatura muito agradável para correr.

A prova teve início pelas 10h30, junto ao Campo de Touros, percorreu as artérias da Vila e pela ponte atravessou o Tejo na direcção das Lezírias, na sua margem direita. A partir daí palmilhámos cerca de 9 km em terra batida, razoavelmente seca, O percurso este ano diferiu daquele do ano passado, talvez devido à lama que iríamos porventura encontrar se seguíssemos o caminho anterior. Assim fizemos praticamente uma recta num sentido e voltámos no sentido contrário. Felizmente não ocorreram atropelos, apesar de grupos numerosos se cruzarem nos dois sentidos. Pelo caminho ainda deparámos com um campino montado a cavalo, junto a um dos pontos de abastecimento.

Terminada a prova, aproveitámos para conviver um pouco, que o sol se anunciava prazenteiro por entre as nuvens que davam sinais de ceder perante a majestade do astro rei.

E lá regressámos para nossas casas, com mais uma prova concluída e uma manhã de domingo bem passada ao ar livre em lugar de ficarmos a vegetar frente à TV. No meu caso foi a 50ª prova da minha ainda curta carreira desportiva.





Podem encontrar as fotos possíveis aqui: http://tinyurl.com/67r8lqd

sexta-feira, 11 de março de 2011

Treino em Monsanto - Domingo, 13 de Março

Enquanto uns se irão "atolar" (...ehehehhe...) na Corrida das Lezírias , por favor não esqueçam as "galochas" :-), outros irão treinar em Monsanto, fora dos trilhos lamacentos (!!!!!).

Os mais radicais, como o Marco Gouveia começarão às 8:00, outros, mais calmos, começarão às 9:00. O ponto de encontro é o mesmo, nas traseiras do estádio Pina Manique, na Estrada de Monsanto, seta verde na foto, coordenadas GPS 38.736823,-9.202189.

O ponto A, é a Embaixada do México.

Perto das 9:00, o grupo das 8:00, passará no ponto de encontro, para apanhar os da "2ª vaga".


A distância a percorrer por cada um é a que quiser. As previsões para os do 1º grupo serão os 42 km da praxe, e os do 2º grupo, à volta de duas horas, cerca de 20 km.

Lá os esperamos. Confirmem pf, em comentários, se quiserem ir.

Runabraços

quinta-feira, 10 de março de 2011

Corrida dos Sinos 2011


A mítica prova de atletismo do Concelho de Mafra está de regresso!
A edição 2011 da Corrida dos Sinos realiza-se no próximo dia 3 de Abril, a partir das 10h30.
Existe também na Corrida dos Sininhos, uma prova não classificativa, aberta a todas as idades.

Numa organização dos Amigos do Atletismo de Mafra e da Câmara Municipal de Mafra, a 29.ª edição da Corrida dos Sinos tem partida e chegada no Parque Desportivo Municipal, em Mafra, com passagem pelas localidades da Paz, Salgados, Sobreiro e Achada, numa extensão total de 15 Km e com limite máximo de 1500 inscrições.

As inscrições para a "Corrida dos Sinos" custam 8 € (até 28 de Março) e 10€ depois, podendo ser realizadas em www.sinos.aamafra.com.

A "9.ª Prova dos Sininhos" (inscrições no valor de 7€) tem partida em simultâneo com a Corrida dos Sinos, mas com uma extensão de apenas 6 Kms, ao longo das ruas de Mafra. Todos os participantes que concluírem a prova receberão uma t-shirt e um sininho alusivos ao evento.

terça-feira, 8 de março de 2011

Um treino à chuva

Hoje acordámos tarde, depois de uma bela festa de Carnaval, com amigos.

Chegámos à Expo, perto das 11 horas. Chovia muito. O que fazer?? Correr ...e aí fomos nós.

Cruzámo-nos pouco depois com o Manuel Romano, Hilário e Miguel San-Payo que vinham a terminar um treino de 20 km, metade dos quais, à chuva.

E continuava a chover...apanhámos o Vítor Aguilar, um jovem de 60 anos, na Marina e continuámos juntos. E a chuva persistia. Fomos até às Inspeções e regressámos.

E continuava a chover. Corremos perto de uma hora, cerca de 9,5 km. E a chuva não parava.

No final, ainda estava o Hilário. Estivémos na conversa. Disse que encontraram o Miguel Dias e o Nuno Almeida, que tinham feito perto de 30 km e no final, o Luís Ferreira, que já ia em quase 3 horas de treino.

E deve ter havido hoje muitos , hoje, desses "loucos que correm....." .............. de sorriso na cara, como na foto em cima...num dia sem chuva..

Runabraços

20 km Cascais - Fotos


Mais Fotos dos 20 km de Cascais no Álbum > Aqui

Esses loucos que correm...

Tomei a liberdade de fazer a tradução para português deste texto espectacular de Marciano Durán. O texto é um pouco extenso, ocupa espaço no blog, mas não resisti partilhar com todos.

Esses loucos que correm

Eu conheço-os.
Tenho-os visto muitas vezes.
São especiais.
Alguns saem de madrugada e empenham-se em ganhar ao sol.
Outros apanham o sol ao meio-dia, cansam-se à tarde, ou tentam não ser atropelados por um camião à noite.
Estão loucos.
No verão correm, trotam, transpiram, desidratam-se, e finalmente cansam-se … só para desfrutar do descanso.
No Inverno tapam-se, abrigam-se, reclamam, arrefecem, constipam-se e deixam que a chuva lhes molhe a cara.
Eu vi-os.
Passam rápido ao longo da alameda, devagar entre as árvores, serpenteiam caminhos de terra, trepam calçadas, fazem jogging na curva de uma estrada perdida, fogem das ondas na praia, atravessam pontes de madeira, pisam folhas secas, sobem montes, saltam charcos, atravessam parques, chateiam-se com os carros que não travam, fogem de um cão e correm, correm e correm.
Ouvem música que acompanha o ritmo dos seus pés, ouvem os padeiros e as gaivotas, ouvem os seus batimentos e a sua própria respiração, olham em frente, olham para os pés, sentem o cheiro do vento que passou por entre os eucaliptos, a brisa que saiu do laranjal, respiram o ar que vem dos pinheiros e abrandam ao passar em frente do jasmim.
Eu já os vi.
Não estão bons da cabeça.
Eles usam ténis com ar e sapatilhas de marca, correm descalços ou gastam sapatos. Transpiram tshirts, usam gorros e medem o seu próprio tempo.
Eles estão a tentar ganhar a alguém.
Trotam com o corpo solto, passam perto do cão branco, aceleram a seguir à coluna, procuram uma torneira para se refrescarem... e seguem.
Inscrevem-se em todas as corridas... mas não ganham nenhuma.
Começam a corrida na véspera, sonham que correm e levantam-se como as crianças no dia de Natal.
Prepararam as roupas que descansa sobre uma cadeira, como fizeram na sua infância na véspera das férias.
No dia anterior à corrida comem massa e não bebem álcool, mas são recompensados com ousadia mal a competição termina.
Nunca consegui calcular-lhes a idade, mas provavelmente têm entre 15 e 85 anos.
São homens e mulheres.
Não estão bem.
Começam em corridas de oito ou dez quilómetros e antes de começar sabem que não podem vencer, mesmo que faltem todos os outros.
Sentem a ansiedade antes de cada partida e alguns minutos antes do início eles precisam ir à casa de banho.
Ajustam o cronómetro e tentam localizar os quatro ou cinco a quem é preciso ganhar.
São as suas referências da corrida: "Cinco que correm como eu."
Basta chegar à frente de um deles e será o suficiente para dormir à noite com um sorriso.
Usufruem enquanto ultrapassam outro corredor... mas encorajam-no, dizendo-lhe que falta pouco e pedem-lhe para não abrandar.

Perguntam pelo abastecimento de água e ficam irritados porque não aparece.
Eles são loucos, sabem que têm nas suas casas a água que precisam, sem esperar pela entrega de uma criança que levanta um copo à medida que passam.
Queixam-se do sol que os mata sol ou da chuva que não os deixa ver.
Estão mal, eles sabem que há perto a sombra de um salgueiro ou o resguardo de um beiral.
Não as preparam... mas eles têm todas as desculpas para o momento em que atingem a meta.
Não as preparam... são parte deles.
O vento estava contra, não corria uma gota de vento, as sapatilhas eram novas, o circuito estava mal medido, os que entraram à frente não deixaram passar, o aniversário de ontem à noite, a costura na meia sobre o pé direito, o joelho a trair-me outra vez, arranquei muito rápido, não deram água, no fim ia acelerar mas não quis.
Gostam de começar a correr e quando chegam levantam os braços, porque dizem que conseguiram.

Ganharam mais uma vez!
Eles não percebem que perderam para cem ou mil pessoas... mas insistem que voltaram a ganhar.
São invulgares.
Inventam uma meta em cada estrada.
Ganham a eles próprios, aos que insistem em olhar para eles desde a calçada, aos que os vêm na TV e aos que nem sequer sabem que existem loucos que correm.
Tremem-lhes as mãos enquanto furam a roupa para colocar os dorsais, simplesmente porque não estão bem.
Eu já os vi passar.
Doe-lhes as pernas, sentem cólicas, custa-lhes a respirar, sentem pontadas nas costas... mas seguem.
À medida que avançam na corrida os músculos sofrem cada vez mais desfigurando rosto, o suor escorre pelas suas caras, as pontadas começam a repetir-se e dois quilómetros antes da meta começam a perguntar o que estão ali a fazer.
Não seria melhor serem um dos sábios que batem palmas na calçada?
Estão loucos.
Eu conheço-os bem.
Quando chegam abraçam-se à sua mulher ou ao seu marido para esconder o puro amor da transpiração do seu rosto e do seu corpo.
Esperam-nos os seus filhos e até algum neto ou mesmo o carinho de um avô que grita solidário quando eles passam a linha da meta.
Trazem uma placa à frente que pisca e diz "Cheguei - Missão Cumprida. "
Apenas bebem água e molham a cabeça, quase se atiram para a relva para recuperar, mas depois param, porque são saudados por aqueles que chegaram antes. Tentam atirar-se de novo mas param porque têm que saudar os que chegam depois deles.
Tentam empurrar uma parede com as duas mãos, levantam a perna desde o tornozelo e abraçam outro louco que chega mais suado que eles.
Tenho visto muitas vezes.
Estão mal da cabeça.
Eles olham com carinho e sem lástima o que chega dez minutos depois, respeitam o último e o penúltimo porque dizem que são respeitados pelo primeiro e pelo segundo.
Aproveitam os aplausos, mesmo que vejam no fim ganhando apenas à ambulância e ao tipo da moto.
Juntam-se em equipas e viajam 200 quilómetros para correr 10.
Compram todas as fotos que lhes tiram e não percebem que são iguais às da corrida anterior.
Penduram as medalhas pela casa para que quem a visita possa vê-las e pergunte. Estão mal.
"Esta é do último mês” dizem, tentando usar seu tom mais humilde.
"Este é a primeira que ganhei” dizem eles, omitindo que as distribuíam a todos, incluindo o último a chegar e o polícia de trânsito.
Dois dias depois da corrida muito cedo já saltam por cima das poças, escalam as cordas, movem os braços ritmicamente, acenam aos ciclistas, batem as palmas das mãos com os colegas com quem se cruzam.
Dizem que poucas pessoas, hoje em dia, são capazes de ficar sozinhos - consigo mesmo - uma hora por dia.
Dizem que só os pescadores, nadadores e alguns mais.
Dizem que as pessoas não estão usufruindo tanto do silêncio.
Eles dizem que gostam dele.
Eles dizem que projectam e fazem balanços, que se arrependem e se congratulam, que se questionam, preparam os seus dias enquanto correm e conversam sem medo com eles próprios.
Eles dizem que os outros inventam desculpas para lhes fazer companhia.
Eles estão mal da cabeça.
Eu já os vi.
Alguns apenas caminham... mas um dia... quando ninguém está a olhar, animam-se e correm um bocadinho.
Em poucos meses começam a transformar-se e ficam tão loucos como eles.
Esticam-se, olham, rodam, respiram, suspiram e atiram-se.
Aceleram, abrandam e voltam a acelerar.
Eu acho que eles querem vencer a morte.
Eles dizem que querem vencer na vida.
Estão completamente loucos.


Marciano Durán
Março 2008
(tradução para português Alfredo Falcão)

Cronicas Marcianas;

A tradução suscitou mais dúvidas do que as que esperava e por isso perdoem alguma incorrecção deste corredor tradutor amador. Na corrida como na tradução não faço grandes tempos mas estou a melhorar e divirto-me muito, Read 4 Fun.


domingo, 6 de março de 2011

Feliz Aniversário

Este mês de Março estão de parabéns os nossos atletas:

04 de Março Luísa Ralha
08 de Março Pedro Miguel Cardoso Gomes
15 de Março Inês Gil Forte
17 de Março António Serafim Desidério
18 de Março Rui Oliveira
21 de Março Jorge Simões

Fazemos votos de um feliz aniversário.

Mais uma vela se apaga e novos horizontes, novas amizades, novas esperanças e novas alegrias se acendem.

E que continuem a partilhar essas alegrias connosco.

XXVIII 20 km de Cascais


Pelos vistos o Nuno Marques renegociou o acordo com o S. Pedro e voltámos à normalidade.

Antes da corrida, mau tempo e chuva, durante a corrida tempo excelente para correr e após a corrida, um Sol magnífico, na Baía de Cascais, para retemperar forças e nos dar boa disposição para os dias que aí vêm.

Foi o caso destes 20 km de Cascais, hoje disputados, com cerca de 30 atletas "Run 4 Fun" e mais alguns na "Rapidinha", com destaque para o Luís Matos Ferreira e família. Ele, porque é um extraordinário atleta, a família, Helena, Rui e Rita, porque é a que mais participa, nas diferentes corridas. Merecem, mais uma vez, o prémio "Estivemos lá".

Mais um número significativo de PBT´s. Na 1ª participação é garantido........ E nas seguintes, depois dos treinos intensos que fazemos (.................eehehheheheh......), é o normal.

Os que participaram pela 1ª vez, não se esqueçam de ir à do próximo ano, pois terão o seu nome gravado na t-shirt distribuída no final. Uma originalidade, muito engraçada, dos 20 km de Cascais.

Parabéns para o Gonçalo Bastos Lopes que, pela 1ª vez correu com a nossa camisola, e para o Luís Correia que, pela 1ª vez, correu connosco. Ainda sem a "laranjinha", mas já integrado.

O António Cruz em ritmo descontraído, o Jorge Duarte Pinheiro com grande facilidade, o Marco Gouveia, no seu treino para os 101 km de Ronda, em grande estilo, a fazer mais um treino. O Eduardo Correia, depois de uns momentos algo difíceis, está a recuperar a forma e é um prazer, a sua companhia, bem como o António Pedro Mata, depois de uma lesão. O Miguel San-Payo, em grande forma, a conseguir chegar primeiro que o Hilário. O Nuno Tempera, cada vez melhor. A Amélia, que deve ter ido aos treinos, voltou a chegar primeiro que a Isabel. O nosso Paulo Sousa a mostrar, mais uma vez, que querer é poder. O Miguel Correia a fazer a "Rapidinha", não deu para mais.. O que interessa é participar e concluir para desfrutar dos melhores momentos, depois da corrida, onde contamos as peripécias que nos aconteceram.

E mais o João Fialho, Rui Oliveira, Filipe Leitão, Nuno Almeida, Zé Magalhães, Vítor e Joaquim Lopes (apenas coincidência de apelidos) a fazerem a corrida juntos, a Luísa a ter que "conter-se" na parte final, o Alfredo Falcão e o Vasco Pipa, uma dupla "infernal", cada vez em melhor forma, o Francisco Sanches Osório que anda a treinar para a Maratona (???!!), o António Serafim a representar condignamente o Manuel Romano, O Jorge Esteves em recuperação da Maratona de Sevilha e do "Trail" de Conímbriga, o Jorge Paulo na sua 3ª corrida connosco, o Rúben a fugir ao Hilário. E devo-me ter esquecido de alguns, ...com as minhas desculpas.

Os nossos fotógrafos (Joaquim e Raúl), desta vez, não estiveram lá, com pena nossa, pois já nos tínhamos habituado à sua companhia. Mas o Zé Carlos Melo e o Nuno Marques resolveram a questão e esperamos que aqui publiquem as fotos.

Na próxima semana a Corrida das Lezírias. Espero que não chova, pois caso contrário será melhor levar umas galochas (...estou a brincar.......). Uma corrida de 15 km, que nos leva até à Lezíria do Tejo, nesta altura, florida e muito bonita.

Bom Carnaval para todos e ....aproveitem para se divertirem

Runabraços

PS

Notável o texto "Esos locos que corren" de Marcelo Durán , um uruguaio, nosso colega corredor que o João Fialho "postou", imediatamente antes deste. A não perder....apesar de estar em espanhol....

sexta-feira, 4 de março de 2011

Esos locos que corren...



Yo los conozco.
Los he visto muchas veces.
Son raros.
Algunos salen temprano a la mañana y se empeñan en ganarle al sol.
Otros se insolan al mediodía, se cansan a la tarde o intentan que no los atropelle un camión por la noche.
Están locos.
En verano corren, trotan, transpiran, se deshidratan y finalmente se cansan… sólo para disfrutar del descanso.
En invierno se tapan, se abrigan, se quejan, se enfrían, se resfrían y dejan que la lluvia les moje la cara.
Yo los he visto.
Pasan rápido por la rambla, despacio entre los árboles, serpentean caminos de tierra, trepan cuestas empedradas, trotan en la banquina de una carretera perdida, esquivan olas en la playa, cruzan puentes de madera, pisan hojas secas, suben cerros, saltan charcos, atraviesan parques, se molestan con los autos que no frenan, disparan de un perro y corren, corren y corren.
Escuchan música que acompaña el ritmo de sus piernas, escuchan a los horneros y a las gaviotas, escuchan sus latidos y su propia respiración, miran hacia delante, miran sus pies, huelen el viento que pasó por los eucaliptos, la brisa que salió de los naranjos, respiran el aire que llega de los pinos y entreparan cuando pasan frente a los jazmines.
Yo los he visto.
No están bien de la cabeza.
Usan championes con aire y zapatillas de marca, corren descalzos o gastan calzados. Traspiran camisetas, calzan gorras y miden una y otra vez su propio tiempo.
Están tratando de ganarle a alguien.
Trotan con el cuerpo flojo, pasan a la del perro blanco, pican después de la columna, buscan una canilla para refrescarse… y siguen.
Se inscriben en todas las carreras… pero no ganan ninguna.
Empiezan a correrla en la noche anterior, sueñan que trotan y a la mañana se levantan como niños en Día de Reyes.
Han preparado la ropa que descansa sobre una silla, como lo hacían en su infancia en víspera de vacaciones.
El día antes de la carrera comen pastas y no toman alcohol, pero se premian con descaro y con asado apenas termina la competencia.
Nunca pude calcularles la edad pero seguramente tienen entre 15 y 85 años.
Son hombres y mujeres.
No están bien.
Se anotan en carreras de ocho o diez kilómetros y antes de empezar saben que no podrán ganar aunque falten todos los demás.
Estrenan ansiedad en cada salida y unos minutos antes de la largada necesitan ir al baño.
Ajustan su cronómetro y tratan de ubicar a los cuatro o cinco a los que hay que ganarles.
Son sus referencias de carrera: “Cinco que corren parecido a mí”.
Ganarle a uno solo de ellos será suficiente para dormir a la noche con una sonrisa.
Disfrutan cuando pasan a otro corredor… pero lo alientan, le dicen que falta poco y le piden que no afloje.
Preguntan por el puesto de hidratación y se enojan porque no aparece.
Están locos, ellos saben que en sus casas tienen el agua que quieran, sin esperar que se la entregue un niño que levanta un vaso cuando pasan.
Se quejan del sol que los mata o de la lluvia que no los deja ver.
Están mal, ellos saben que allí cerca está la sombra de un sauce o el resguardo de un alero.
No las preparan… pero tienen todas las excusas para el momento en que llegan a la meta.
No las preparan…son parte de ellos.
El viento en contra, no corría una gota de aire, el calzado nuevo, el circuito mal medido, los que largan caminando adelante y no te dejan pasar, el cumpleaños que fuimos anoche, la llaga en el pie derecho de la costura de la media nueva, la rodilla que me volvió a traicionar, arranqué demasiado rápido, no dieron agua, al llegar iba a picar pero no quise.
Disfrutan al largar, disfrutan al correr y cuando llegan disfrutan de levantar los brazos porque dicen que lo han conseguido.
¡Qué ganaron una vez más!
No se dieron cuenta de que apenas si perdieron con un centenar o un millar de personas… pero insisten con que volvieron a ganar.
Son raros.
Se inventan una meta en cada carrera.
Se ganan a sí mismos, a los que insisten en mirarlos desde la vereda, a los que los miran por televisión y a los que ni siquiera saben que hay locos que corren.
Les tiemblan las manos cuando se pinchan la ropa al colocarse el número, simplemente por que no están bien.
Los he visto pasar.
Les duelen las piernas, se acalambran, les cuesta respirar, tienen puntadas en el costado… pero siguen.
A medida que avanzan en la carrera los músculos sufren más y más, la cara se les desfigura, la transpiración corre por sus caras, las puntadas empiezan a repetirse y dos kilómetros antes de la llegada comienzan a preguntarse que están haciendo allí.
¿Por qué no ser uno de los cuerdos que aplauden desde la vereda?
Están locos.
Yo los conozco bien.
Cuando llegan se abrazan de su mujer o de su esposo que disimulan a puro amor la transpiración en su cara y en su cuerpo.
Los esperan sus hijos y hasta algún nieto o algún abuelo les pega un grito solidario cuando atraviesan la meta.
Llevan un cartel en la frente que apaga y prende que dice “Llegué -Tarea Cumplida”.
Apenas llegan toman agua y se mojan la cabeza, se tiran en el pasto a reponerse pero se paran enseguida porque lo saludan los que llegaron antes.
Se vuelven a tirar y otra vez se paran porque van a saludar a los que llegan después que ellos.
Intentan tirar una pared con las dos manos, suben su pierna desde el tobillo, abrazan a otro loco que llega más transpirado que ellos.
Los he visto muchas veces.
Están mal de la cabeza.
Miran con cariño y sin lástima al que llega diez minutos después, respetan al último y al penúltimo porque dicen que son respetados por el primero y por el segundo.
Disfrutan de los aplausos aunque vengan cerrando la marcha ganándole solamente a la ambulancia o al tipo de la moto.
Se agrupan por equipos y viajan 200 kilómetros para correr 10.
Compran todas las fotos que les sacan y no advierten que son iguales a las de la carrera anterior.
Cuelgan sus medallas en lugares de la casa en que la visita pueda verlas y tengan que preguntar.
Están mal.
-Esta es del mes pasado- dicen tratando de usar su tono más humilde.
-Esta es la primera que gané- dicen omitiendo informar que esa se la entregaban a todos, incluyendo al que llegaba último y al inspector de tránsito.
Dos días después de la carrera ya están tempranito saltando charcos, subiendo cordones, braceando rítmicamente, saludando ciclistas, golpeando las palmas de las manos de los colegas que se cruzan.
Dicen que pocas personas por estos tiempos son capaces de estar solos -consigo mismo- una hora por día.
Dicen que los pescadores, los nadadores y algunos más.
Dicen que la gente no se banca tanto silencio.
Dicen que ellos lo disfrutan.
Dicen que proyectan y hacen balances, que se arrepienten y se congratulan, se cuestionan, preparan sus días mientras corren y conversan sin miedos con ellos mismos.
Dicen que el resto busca excusas para estar siempre acompañado.
Están mal de la cabeza.
Yo los he visto.
Algunos solo caminan… pero un día… cuando nadie los mira, se animan y trotan un poquito.
En unos meses empezarán a transformarse y quedarán tan locos como ellos.
Estiran, se miran, giran, respiran, suspiran y se tiran.
Pican, frenan y vuelven a picar.
Me parece que quieren ganarle a la muerte.
Ellos dicen que quieren ganarle a la vida.
Están completamente locos.

Marciano Durán
Marzo 2008

quinta-feira, 3 de março de 2011

My Run


Inacreditável.

Quando vemos um atleta de topo a correr, percebemos que ele nasceu para fazer isso...

Mas este tipo é tudo menos um atleta... idade, físico, etc.

Mas a força de vontade e a mente humana são surpreendentes.

Para todos aqueles que acham que fazer uma Maratona é "impossível", o "impossível" só demora mais um pouco de tempo...

Para além do prazer de correr, corram para afirmar algo...

AC